domingo, 17 de junho de 2012

Já passei por alguns rompimentos, dos dois tipos que há.



Tem aqueles em que a gente não consegue respirar sem o contato. Insiste em e-mails, mensagens, lembranças, telefonemas como quem não quer nada, só pra dizer que eu vi um filme que me lembrou você, num fingimento de amizade e naturalidade que a gente insiste em encenar porque quer ser madura. Ou então sufoca o quanto pode, pede por favor, não deixa de me amar, faz vergonha. Esgota até o último bocadinho de amor. Fica ali até secar - até você secar, até não restar nada. E se engana dizendo que nunca mais vai amar. Esses são os mais dolorosos.

E tem aqueles rompimentos em que é fácil sumir. Não procurar ou ser procurada parece até natural. Sim, outra vai ocupar o seu espaço. Outro vai ocupar o espaço dele. Pra que se agarrar ao que acabou? Não tem como jogar a culpa em ninguém. Como a gente faz pouca falta. É espantoso ver como pode ser fácil esse processo de se desvencilhar de alguém a quem se é tão apegada. Esses são os mais amargos.

Que gosto ruim tem isso de ver como era frouxo o nó.

29 comentários:

  1. É horrível demais :(
    eu sinto muito, e desejo que a vida seja mais doce pra nós :(

    ResponderExcluir
  2. eu passei por dois rompimentos importantes.

    o primeiro, foi assim: como assim? foram cinco anos.. como assim ela ja ta com outro? blz.. vou arrumar outra pra ocpuar o espaço dela logo logo.. e cortar todo tipo de contato e lembrança dela.. e foi assim.. apaguei todas as fotos.. e arrumei outra rapidinho.. ocupou o espaço? claro q nao.. doeu demais.. mas matar tudo me ajudou... o segundo foi assim: peraí... eu nao era o melhor namorado q vc ja teve? como assim, se em 2 meses atras vc dizia q nao conseguia viver sem mim? no fim das contas, o pior q fica sempre, é pensar como era frouxo o nó... pô.. entao eu nao era tao importante pra vc como vc dizia? é.. eu nao sou tao importante.. simples assim.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. às vezes a gente é importante, sim, Mário. já dói tanto quando a gente acredita que é importante. imagina se a gente achar que não vale nada. =)

      Excluir
  3. Ai, olha... é difícil mesmo... com todos os meus relacionamentos mais longos (3), eu terminei e nunca mais tive contato com a pessoa. Parece que todos eles desapareceram! Confesso que foi melhor assim. Eu acho que sofri menos desse jeito.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. acho que a gente sofre menos desse jeito mesmo...

      Excluir
  4. Pois é, há 1 mês atrás a gente era inseparável.... Mas na verdade queríamos desesperadamente acreditar em algo que não era... Cada um por seu motivo.... Quem dera achar outra mulher fossa ocupar todos os espaços deixado por ela... não agora... só com o tempo...

    ResponderExcluir
  5. tem algo para ser dito nesses momentos? eu ainda não aprendi, renata, mas olha: aqui de longe meu silêncio tá cheio de afeto e te desejando doçura. beijo.

    ResponderExcluir
  6. te entendo, tanto Renata. Um grande abraço pra vc, moça.

    ResponderExcluir
  7. às vezes eu imagino que você espiona a minha vida pra escrever seus textos, moça. me ajuda muito ler você.

    beijos, moça. obrigada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. essa é uma das coisas mais legais do blog, Marina. ver como às vezes a gente sente a mesma coisa que um monte de gente. =)

      Excluir
  8. voce nem imagina o quanto me ajuda, moça.

    tamo junto hahhahaa

    ResponderExcluir
  9. Pior é ver que o nó afrouxa mais do lado que não é o seu.

    Adorei seu blog bobo. Eu também tenho um, mais bobo ainda.

    pirilimpando.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  10. Tive um rompimento recentemente, foi um longo relacionamento..até tentei continuar o contato mas vi que é impossível! É necessário cada um seguir seu caminho, e levar com você somente os aprendizados..

    ResponderExcluir
  11. me diz que esses dois últimos posts foram aleatórios e são apenas filosóficos? senão vou ficar preocupada. :/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ahhh, já falamos tudo por e-mail e whatsapp =)

      Excluir
  12. A Marina G disse exatamente o que eu queria dizer... Vc nem imagina como nos ajuda! Beijos, fique bem!

    ResponderExcluir
  13. Ja passei pelos dois tipos. E por um terceiro ainda mais feio.
    Não sei qual é pior...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. acho que também não sei dizer qual prefiro. =)

      Excluir
  14. Sofro fazendo o primeiro tipo...
    Josyê

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. acho que sofro com os dois. de maneiras diferentes.

      Excluir
  15. não me conformo como as pessoas que foram tão importantes de repente deixam de existir na nossa vida e, de repente, quando acontece aquela coisa importante, você não lembra de ligar pra elas pra contar, porque passou. triste.

    ResponderExcluir
  16. É impressionante! Em cada post me vejo mais e mais...seu blog foi um verdadeiro achado nesses dias tão estranhos. Até poucos dias eu ainda tentava ser amiga, pq queria estar perto de alguma maneira, só de estar com ele tudo parecia tão melhor. Mas criar um milhão de expectativas e no final ter que se contentar com um beijo no rosto selando a "amizade" é muito, muito difícil. É muito pouco perto do tudo que já tive. Então desisti, me afastei, e não sei mais se era melhor ter ficado. Porque como faz falta.

    ResponderExcluir