sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

lonerism

Eu comprei, sim, um presente pra você. Entrei na loja, fui direto num que eu achei que você fosse gostar, com seu hipsterismo não-assumido. Uma coisa que você já tinha elogiado, como da outra vez. O dono da loja, um Hugh Grant em Um lugar chamado Notting Hill mais velho embalou bem direitinho pra que não quebrasse no avião.

Depois pensei que podia ter deixado o Hugh Grant mais velho me ajudar. Tinha tantos vinis legais na loja. Eu podia ter pedido uma coisa nova, francesa, desconhecida. Trouxe australianos de Perth, num ataque sutil do meu subconsciente contra você. Eu só percebi já no Brasil.

Eu nunca fui a menina das suas fotos e quando eu penso na definição de stolen hours, eu penso em nós dois, nada muito além disso. Você foi aquele pra quem eu compro vinis mesmo sem saber o que eu estou fazendo e pra quem eu decido não mandar mais presente nenhum.
...
"That's the most we can hope for. Nothing thrown, nothing said that we might remember for years. You watch me while you put a brush through your hair. Each strand that breaks is as long as my arm. You don't want to let go, but don't want to be hurt, eitheir. It's not a great place to be but what can I tell you?"

(de "Flaca", uma das histórias de This is how you lose her, de Junot Díaz. a que mais partiu meu coração)
...
Eu demorei um mês pra chorar de verdade.



This is how you lose her ainda não tem tradução pro português. mas eu recomendo muito a leitura. em inglês ou quando sair a tradução. o livro é muito bom.

10 comentários:

  1. Renata,
    nunca comentei mas estou sempre por aqui, leio essas coisas e me sinto um pouco sua amiga :)

    beijo (de alguém com uma pilha de presentes que nunca serão entregues)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. um beijo, Marina. que legal que você comentou. =)

      Excluir
  2. também passei por isso. E também não consigo nem encostar em presentes que comprei pra mim no mesmo dia e na mesma loja.

    só fica o nó na garganta, eu acho.

    um abraço, Renata.
    força aí.

    ResponderExcluir
  3. eu quebraria o vinil na cabeça dele, e pra arrematar daria um joelhaço no saco, a la "a noiva", de kill bill, e diria: "e isso é pelas vezes em que você me chamou de gatinha, ________ ."(insira aqui seu palavrão favorito).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hahahaha, estamos agressivas hoje! =) um beijo e um abraço. obrigada, de novo. =)

      Excluir
  4. Ai =/
    qual é a banda de Perth ? (tô numa vibe musica australiana, me preparando ^^)

    Alias, entendi as entrelinhas da escolha (in)consciente do presente ;)

    Fique bem!

    Beijo,
    Carol

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tame Impala. eu só percebi o negócio de serem de Perth quando cheguei aqui. achei uau. subconsciente, thank you.

      Excluir
  5. Eu não compro, mas quando estou em alguns locais gosto de olhar as coisas e imaginar o que eu poderia comprar.
    Fico escolhendo presentes na minha imaginação.

    Bjs.
    Elvira

    ResponderExcluir