quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

Amsterdã

Voltei pra casa, cheguei ontem à noite.

Eu sou péssima pra falar sobre viagens, pra dar dicas principalmente. Quando viajo, sempre me perguntam o que eu fiz por lá e eu sempre digo "sei lá, andei, conheci a cidade." Muitas vezes me perguntam se eu visitei a praça tal, a igreja sei lá de quem e eu digo que não. A isso sempre segue uma cara espantada e um comentário do tipo "não acredito que você perdeu isso!"


Olha, eu acredito. Eu acredito que poderia ir ao Rio e não visitar o Cristo Redentor. Aliás, eu nunca fui ao Cristo Redentor. Eu compro um guia, destaco o que gostaria de visitar, pesquiso coisas na Internet, mas acho que uma viagem é cara e rápida demais pra ver coisas só porque alguém me diz que eu tenho que ver. Tem muita coisa que não me interessa. Tem muita coisa que não me interessa na vida, é normal que tenha muitas coisas que não me interessem em viagens. 




Eu posso passar uma tarde sentada num café, lendo ou vendo o movimento, tomando uma cerveja, um chá. Eu sei que são coisas que eu poderia fazer em casa, mas são coisas que eu gosto de fazer em casa, então também gosto de fazer em lugares que não são a minha casa.

Eu tenho a sorte de ter amigos que dão dicas ótimas, tipo "olha os prédios tortos", "come um croquete de máquina" e "vai no café tal, tem uma sopa ótima", coisas desse tipo.


Antes de ir pra Amsterdã, várias pessoas me disseram que uma semana era tempo demais, que em dois dias eu veria a cidade toda, porque é bem pequena. Eu acabei comprando um guia da Bélgica também, pensei que, se eu visse Amsterdã inteira, poderia pegar um trem e passar uns dois ou três dias pela Bélgica e a viagem não estaria perdida. Eu não sei se seria capaz de ver Amsterdã em dois dias ou três. Eu sou meio lenta, eu demoro pra ver as coisas. E eu gosto de ver as coisas mais de uma vez. Eu gosto de repetir restaurantes, se a primeira refeição lá for boa. Eu vou mais de uma vez ao mesmo museu pra ver de novo tudo o que eu vi há dois dias. Eu gosto de parar e comer um sanduíche que não estava nos planos. Eu não sei seguir um roteiro porque eu mudo de ideia toda hora, porque o que eu achava que seria legal acabei achando chato, porque acabo querendo passar mais tempo num lugar pro qual eu só tinha reservado 30 minutos. 

Isso não quer dizer que eu não visite os pontos turísticos, porque, né? eu sou turista. Só que eu não ligo de não visitar todos, se acho que não têm a ver comigo.

No final, eu amei tanto Amsterdã que só fui embora de lá sem dor no coração por não ficar mais porque estava indo pra Paris, que eu já amava.





Em Amsterdã, eu amei os canais, andar pelas ruas me perdendo e me achando depois. O Museu Van Gogh tava em obras, mas uma grande parte das telas estava em outro museu e foi bem emocionante, é um dos meus artistas preferidos. Eu gostei da Heineken Experience, mais até do que achava que ia gostar. Isso pode ter a ver com o fato de pessoas me darem as cervejas grátis que a gente ganha quando compra o ingresso. No final do passeio, tem um bar onde você pode tomar as cervejas. Não sei se foi porque eu estava sozinha e ficaram com pena de mim, mas duas pessoas me deram cerveja grátis. Bom, não tem como não gostar. Eu adorei o Solo, na rua do meu hotel. O risoto de abóbora com cogumelos, uau, uau. O cheeseburger do Café Wildschut, o club sandwich. O clima é super legal. Visitar a casa de Anne Frank foi bem emocionante. Amei o museu Stedelijk, amei. Mas essas são coisas que estão em todos os guias. Amei que tem wifi grátis em qualquer lugar. Viajando sozinha, eu dou muito valor a wifi. Hehe, eu dou valor a wifi sempre, deixa eu ser sincera. Todo mundo falava inglês, a maioria falava muito bem.


Eu não vi várias coisas em Amsterdã, mesmo ficando uma semana. Não comi vários pratos, não visitei vários lugares. Mas eu fui tão feliz durante meu tempo lá, eu vi tantas coisas lindas, senti tantas coisas que não vejo a hora de voltar!


Eu não sou boa pra falar de viagens, mas sou muito boa em lembrar de tudo e já ficar com saudade. =)

tava frio, tava bem frio. a sensação térmica era de -17 em alguns dias. teve gente que me perguntou por que ir a amsterdã no inverno. a resposta é bem simples: se não for no inverno eu não vou, porque só tenho férias em janeiro. adoraria ter ido na primavera e ter visto as tulipas, mas eu não tenho essa opção. you can't always get what you want. e eu acho ok viajar no inverno. temperatura é uma coisa que não me incomoda. frio ou calor, acho que eu sou autorregulável, nada me incomoda muito. são 10 horas num avião, eu não reclamo em viagem. mas não recomendo mesmo viajar no inverno se temperaturas extremas te incomodam, se o frio te faz sofrer fisicamente (eu durmo com bepantol nos lábios, mãos e pés pra minha pele não rachar e sangrar) e se você não tem nem está disposto a comprar um bom casaco.

28 comentários:

  1. que post lindo, Renata! (:
    gostei das fotos, acho que minha preferida é a primeira (:
    também tenho isso de não visitar lugares pré determinados. O que fica na minha cabeça das minhas viagens são as boas refeições, os momentos em que senti o coração aquecido e os sorrisos que dei e recebi.

    acompanhando você por aqui e pelo twitter, acabei me inspirando para viajar sozinha também. Espero que consiga viajar sozinha em abril ^^

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. tomara que você consiga mesmo, Melina. é tão chato ficar em casa e deixar de viajar por falta de companhia, né?

      eu sempre penso, se às vezes é ruim estar sozinha numa cidade estranha, pior do que isso é estar em casa pensando que podia estar viajando. =)

      eu tava morrendo de saudade da hannah :´)

      (se você for pra amsterdã, vai receber muitos sorrisos. as pessoas são muito simpáticas)

      Excluir
  2. Um dos melhores relatos sobre viagem que já li :)
    Seja bem vinda de volta ;**

    ResponderExcluir
  3. Quero levar esses ensinamentos pra minha vida, Renata. Pode ser?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hahahaha, pra vida acho mais difícil... =)

      eu, por exemplo, não reclamo em viagens, já na vida...

      Excluir
  4. Eu fiquei só umas 10 horas em Amsterdam. Cheguei de manhã num trem vindo de Paris e voltei à noite. Se arrependimento matasse: não tem nada pra ver? Me disseram a mesma coisa sobre Praga (onde fiquei 3 dias) e eu acreditei. Quero ficar no mínimo 7 dias da próxima vez em ambas cidades. Amei Amsterdam com todo meu coração. Só fui à casa de Anne Frank e passei o resto do tempo observando essa cidade ser linda. Não deu pra ver Van Gogh por falta de tempo mesmo (mas eu vi alguns no d'Orsay, então não sofri tanto). Adoro inverno, adoro frio, adorei ver a neve (em Praga e em Berlim, yay!), mas dessa vez o frio incomodou. A sensação era de -13 em Praga e descobri que se pode nevar a -10 (achei que só com temperaturas mais próximas de zero). Quero um casaco melhor da próxima vez e acho que vou pular a Alemanha... :-)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. sempre acho ótimos casacos a preços muito bons na Mango. na liquidação é excelente, mas os preços cheios também são bons. os casacos são ótimos, nunca me arrependi de ter comprado lá. =)

      engraçado como a gente enxerga os lugares de uma maneira diferente das pessoas, né? eu já entendi que preciso de mais tempo do que a maioria das pessoas pra me sentir à vontade em algum lugar...

      Excluir
  5. Renata, adorei o post! Minha amiga e eu nos identificamos muito! Viajamos durante um mês pelo Uruguai, Argentina e Chile, sem destino, sem reservas e curtindo as cidades sem nos apegar ao que as pessoas diziam que tinhamos "obrigação" de ver. Um de nossos melhores momentos foi sentar num café ao lado do teatro municipal em Mendoza e passar uma tarde batendo papo e tomando vinho. Acredito que esse seja o tipo de experiencia de viagem que vale a pena, omo foi a sua! Parabéns pelo post, pela coragem de viajar sozinha e pelas fotos que ficaram lindas!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. que viagem legal, Nana! achei o máximo. =)

      Excluir
  6. É isso ai! Fazer as coisas que gosta tb é parte da viagem...o que importa é curtir!

    ResponderExcluir
  7. Pois é. Passei um mês na Inglaterra e só 4 horas em Londres, fui recriminada por todo mundo num raio de 65873244km.

    Bom saber que tem outra maluca que prefere o mesmo restaurante e levar o tempo que for preciso para conhecer uma cidade só.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. uma bobagem. as pessoas querem que todo mundo faça a mesma viagem. ;)

      Excluir
  8. o post de viagem mais lindo q eu já li <3

    ResponderExcluir
  9. Eu adorei Amsterdam, apesar de ter visto muito menos do que gostaria. Eu priorizei o museu do Van Gogh e a casa da Anne Frank, mas ainda sobrou um tempinho pra babar com as ruas e canais. E eu me lembro que a sensação era assim: ah, ficaria mais se pudesse. Também quero voltar, quero muito.

    E agora você nunca mais diz que é "péssima para falar sobre viagens" porque eu aposto que todo mundo que vier aqui ler esse post vai ficar com vontade de voar para Amsterdarm. No inverno.

    Beijos
    Rita

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. obrigada, Rita. um beijo!

      eu deixei amsterdã sabendo que ia voltar. é muito linda, fiquei apaixonada.

      Excluir
  10. Eu já tinha vontade de ir, agora então...
    Sentar e observar a cidade, as pessoas, tudo que sempre desejo de uma viagem.
    Parabéns, o post é lindo, é intenso e emocionante.

    Beijos,
    Silvia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. você vai amar a cidade. é muito linda. =)

      obrigada, ;)

      Excluir
  11. Que post delicioso de ler, Renata. E que bacana saber que estou em tão fantástica companhia no meu jeito de viajar. \0/
    xx

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. pra mim é muito difícil viajar de outro jeito, me sinto muito presa. =)

      Excluir
  12. Lindíssimo post e gostei muito das cores do seus batons <3

    ResponderExcluir
  13. Não conheço Amsterdam, mas você me deixou com saudades.

    ResponderExcluir
  14. A maneira certa de se viajar é a maneira que a gente se sente melhor. Que bom que curtiu a viagem! Amsterdã é mesmo incrível. Bjs

    ResponderExcluir