terça-feira, 19 de setembro de 2006

Weee!!!

Depois de muitas tentativas, de pipoqueiras inutilizadas, de colheres de plástico derretidas, de muito milho jogado fora, de muita fumaça pela casa, hoje finalmente consegui fazer pipoca doce sem precisar fazer a calda separadamente.

Uma vitória.

Claro, Renata, a receita!

Olha, fiz assim: coloquei o milho, um pouco de óleo, açúcar e achocolatado (eu usei Nescau, porque é menos doce do que o Toddy, e não tinha chocolate em pó aqui em casa). Não tem muita medida, vai colocando e vendo como fica bom pra você. Já vi receitas com água, mas não testei com a nova técnica.

O mais importante não é a receita. Eu testei várias receitas diferentes e em todas as vezes a calda queimou antes do milho começar a estourar, porque todas diziam que eu tinha que fechar a pipoqueira. Então, acho que o segredo é misturar tudo antes de ir ao fogo e continuar mexendo enquanto estiver no fogo mesmo. Tem que mexer, pra calda não queimar, até o milho começar a estourar. Só aí você põe a tampa. Mas tem que continuar mexendo a manivela da pipoqueira ou sacudindo a panela (se não estiver usando uma pipoqueira).

Eu me queimei sim, mas bem de leve. Nada que se compare a uma queimadura de chapinha, por exemplo. Porque, aparentemente, os íons negativos fazem bem só pro cabelo, não pra pele.

2 comentários:

  1. Vou testar, Renata! Lá em casa não tem pipoqueira e tenho certeza que me queimarei. Sou desajeitada ao cubo. Mas eu amo pipoca doce!

    ResponderExcluir