sábado, 14 de junho de 2014

Outro dia eu estava no ponto de ônibus, veio um homem bêbado falar comigo. Falou coisas sem sentido, enrolando a língua e batendo na própria cabeça. Eu permaneci de pé, olhei para ele com uma cara muito séria e disse "não." Ele continuou falando coisas sem sentido e batendo na própria cabeça por um tempo, enquanto eu o ignorava olhando para o nada com uma cara muito séria, até ele se dirigir a outras pessoas que também estavam no ponto de ônibus.
...
Há um tempo eu estava saindo com dois caras mais ou menos ao mesmo tempo. A gente estava bem no comecinho de qualquer coisa, eu com um e eu com o outro. Chegou um momento em que eu achei que tinha que escolher um dos dois e eu não escolhi o cara que disse que ia procurar minha marca preferida de pães-de-mel na viagem que ele faria, e sim escolhi o cara que me chamava de pedante e me fazia dar três pulinhos para São Longuinho quando encontrava algo que ele estava procurando, como o iPod perdido na casa dele que não tem televisão, como a minha.
...
Quando o bêbado que falava coisas sem sentido, enrolando a língua e batendo na própria cabeça se aproximou do homem que esperava o ônibus comigo, o homem saiu andando, atravessou a rua, apressou o passo; o bêbado atrás dele, falando coisas sem sentido e batendo na própria cabeça.
...
O que aconteceu foi que o cara que perguntava no que eu pensava quando eu sorria com o canto da boca sumiu. Ele sumiu depois que eu disse que tinha comprado um presente para ele, o que me fez achar que ele tinha ficado assustado. O presente era só um pote de massinha e mais tarde eu descobri que ele também estava saindo com duas mulheres ao mesmo tempo e escolheu a outra, não a mim.
...
A perseguição do bêbado durou um certo tempo. Para mim, pareceu um tempo curto, numa cena ridícula, mas para o homem sendo perseguido deve ter parecido muito tempo. Finalmente o ônibus chegou, e o homem perseguido atravessou a rua de volta para o ponto.
...
A outra mulher, a que foi escolhida, partiu o coração do cara que leu um texto que eu havia enviado para ele, um texto do qual eu mesma não havia lido nada além do título e por isso ele me chamou de cretina, e depois comentou comigo o texto todo, bom a outra mulher partiu o coração dele, então ele começou a tentar se reaproximar de mim.
...
Enquanto eu observava a perseguição do bêbado com o homem apavorado, eu pensei em quantas vezes na minha vida eu bati o pé no chão e disse "não, você não vai fazer isso comigo" apenas porque eu achava que essa era a postura que eu devia ter diante da vida e das coisas que acontecem nela. Quantas vezes eu poderia simplesmente ter feito o que eu queria, que neste caso era atravessar a rua com medo, mas me forcei a ser forte e dura, sendo forte e dura comigo mesma.

O homem perseguido atravessou a rua rindo de si mesmo, daquela situação maluca acontecendo às nove horas de uma sexta-feira, balançando a cabeça. Ele entrou no mesmo ônibus que eu.

8 comentários:

  1. "mas me forcei a ser forte e dura, sendo forte e dura comigo mesma.". Entendo muito bem o que é isso. Seus textos são excelentes! Algumas vezes, me sinto conversando comigo mesmo ao ler!

    ResponderExcluir
  2. Faz uma semana que li o seu texto e desde então não consigo parar de pensar noutra coisa. O homem atravessando a rua, rindo, e depois entrando no ônibus. Quantas vezes também eu, como você, me impus ser forte e dura, quando queria ter atravessado a rua com medo? E no fim, o homem entrou no mesmo ônibus...


    (parabéns pelo texto e pela reflexão. como se vê, me tocou profundamente)

    ResponderExcluir
  3. Ou seja, difícil não é fazer o que a gente quer... é querer (com intensidade suficiente) aquilo que a gente gostaria de fazer.

    Palavras... palavras...
    Me desculpe.

    ResponderExcluir
  4. Encontrei seu blog por acaso.

    Muito interessante a forma como você estruturou o texto, contendo duas histórias paralelas de modo intercalado. Igualmente interessante é o conteúdo delas.

    http://omundoemcenas.blogspot.com.br/

    Adoraria uma visita

    Beijos, tenha uma ótima semana Renata

    ResponderExcluir
  5. E a gente fala sem sentido mesmo...

    dentrodabolh.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. Its like you read my mind! You appear to know so much about
    this, like you wrote the book in it or something.

    I think that you can do with a few pics to drive the message home a little bit, but instead of that, this is magnificent blog.
    A fantastic read. I will certainly be back.

    Also visit my blog - dumex milk powder

    ResponderExcluir
  7. Aiiiinnnnn, cadê texto novo?
    Bjo

    ResponderExcluir
  8. vc parou de escrever?

    ResponderExcluir