quinta-feira, 17 de abril de 2014

Sobre o meu apartamento,

o que é difícil:
-ocupar os espaços. Na casa dos meus pais, por muitos anos, mais de 20, não tinha tevê na sala. tinha uma tevê em cada quarto e ficava cada um na sua. não existia isso de ficar sentado no sofá com a família vendo novela. Na minha casa, o sofá ainda não chegou e não tem tevê. São dois quartos, um é o de dormir e o outro é um escritório/quarto de hóspedes. Na casa dos meus pais, eu tinha um cantinho de trabalho com meu computador, mas era tudo no meu quarto, num lugar só. Era o lugar onde eu mais ficava. Agora, com a casa toda pra mim, ainda é difícil ocupar todos os espaços. Eu fico lutando pra não ficar só no quarto, mas por enquanto só uso a sala para refeições, enquanto o sofá não chega e me obrigo a trabalhar no escritório.

-não fazer estoque. Quando meu vô morreu, eu lembro de caminhões de comida chegando na minha casa, outros caminhões de produtos de limpeza. Entraram na casa (presta atenção que não era uma despensa apenas) que ele mantinha como depósito de compras e viram o tanto de coisa que ele tinha lá e saíram distribuindo. Meu vô gostava de fazer estoque. Se você precisar de uma torneira, ainda tem lá, no estoque dele, de obras. Eu gosto de fazer estoque. Eu não sei comprar uma caixa de sabão em pó. Eu preciso de três. Eu preciso saber que nunca na minha vida eu vou abrir o armário e achar uma lata só de leite condensado. Eu preciso de estoque. E, embora meu apartamento não seja pequeno, eu não tenho onde guardar tanta coisa assim. Não fazer estoque é uma luta diária.

-saber quando o lixeiro passa. Eu moro num predinho antigo que não tem porteiro. Cada um coloca seu próprio lixo pra fora. Eu achei que o lixeiro aqui passasse nos mesmos dias que no bairro dos meus pais, mas parece que eu me enganei. É claro que eu posso perguntar para um vizinho ou para o síndico, mas eu nun-ca vejo ninguém no prédio e fico sem graça de tocar o interfone só pra perguntar isso, então fico prestando atenção nas outras casas da rua, pra ver quando elas colocam o lixo no portão. Até agora, não achei um padrão.

o que é fácil:
-cozinhar todo dia. Muita gente me disse que eu ia ficar com preguiça, ia comer congelados e delivery. Eu não me acostumo. Na casa dos meus pais eu já cozinhava quase todos os dias. Quando tô com preguiça, eu faço uma coisa bem rápida, uma massa com um molho fácil ou um sanduíche. Já pedi delivery aqui, mas porque estava com vontade de comer aquele prato daquele restaurante e na primeira vez foi porque não tinha gás e aí deu preguiça mesmo de pensar no que fazer só com o forninho elétrico. Também é bom notar que eu estou em Nova Iguaçu, o conceito de rapidez não chegou aos serviços de entrega daqui. Se eu estiver com fome e preguiça, é muito mais simples fazer uma massa em casa mesmo.

-ficar sozinha. Eu amo. Mas amo. Mas amo muito. Adoro ter companhia. Ainda não recebi amigos aqui (não tem sofá!), mas na casa dos meus pais eu recebia, fazia jantares, festas, sempre gostei. Quero sempre receber amigos na minha casa também, não me entenda errado. Mas eu amo ficar sozinha. Amo não ouvir nenhum barulho que não seja o meu (e o do trem, que eu moro em frente à linha férrea). Só escuto barulho dos vizinhos quando vou à cozinha e mesmo assim é de longe. Eu amo ficar sozinha e estou me sentindo muito feliz tendo tanto espaço e silêncio só pra mim.

12 comentários:

  1. também AMO ficar sozinha. Melhor parte de morar só. Tenho até medo de gostar tanto disso que nunca mais tenha espaço pra compartilhar a casa com alguém

    ResponderExcluir
  2. Fiquei 3 anos morando sozinha e não recebia visitas com a desculpa "não te convido porque não tenho sofá e nem cadeiras pra você sentar". Como não faço a menor questão de visitas, continuei não fazendo questão de comprar sofá e cadeiras.
    Mas o melhor de morar sozinha, sem dúvida nenhuma, é o silêncio.

    ResponderExcluir
  3. Sofro da primeira dificuldade e compartilho a ultima felicidade.
    Vivo querendo mesas e sofas e escrivaninhas e estantes. E to amando o silencio e nao ter que lidar com ninguem em dias mal humorados. 8 meses disso.

    ResponderExcluir
  4. Ps: sou igual a mila de cima, usando a desculpa "nao te convido pq nao tenho moveis". ahahaha tao bom nao ser sociopata sozinha.

    ResponderExcluir
  5. o silêncio é a melhor parte, tb adoro.
    e sofá é certamente 'reunidor', vale a pena! :)

    ResponderExcluir
  6. Estou nessa de morar sozinha há dois anos. Tem dias que é inevitável bater uma solidão. Mas quando eu tenho um dia miserável no trabalho e lembro que vou chegar em casa e ouvir o som do silêncio, apenas... é realmente a parte mais deliciosa de morar sozinha!

    Sofá: ainda que vc não gostasse de reunir pessoas, sofá é uma delícia. é uma segunda opção de cama pros dias que você quiser mudar a rotina da casa!

    ResponderExcluir
  7. Dica: liga pra prefeitura daí que eles te informam o dia e o horário da coleta na sua rua. ;-)
    (E gente, vou levar pra vida essa desculpa de não ter móveis, hein? Hahahaha!)

    ResponderExcluir
  8. Ai, eu amava tanto morar sozinha, tanto, mas tanto! Eu fiz uma opção, depois de morar sozinha desde os 18, eu casei. Mas vou te dizer. Sinto muita falta! Nunca senti solidão. Tinha meus seriados, internet, etc. Nossa. Que maravilha.

    ResponderExcluir
  9. Muito bom passar bons momentos sozinho.

    ResponderExcluir
  10. Eu poderia TANTO ter escrito esse post. TANTO. Mas ainda bem que você escreveu <3

    ResponderExcluir
  11. Eu também quero ir na sua casa! <3 Mas já aviso que não vai ter silêncio porque eu sou uma matraca e a minha risada é escandalosa. :D

    ResponderExcluir