quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Tá tudo errado. Tudo errado. De dar vontade de passar o dia de boca aberta, perguntando "por quê?"


Daí o Anthony Kiedis tira a camiseta no final do show.

E não importa mais que esteja tudo errado. Não importa mais aquele corte de cabelo ridículo e aquele bigodinho inexplicável.

O Anthony Kiedis tirou a camiseta. Mesmo que tenha sido só na última música.

Posso considerar um sinal de que tudo vai dar certo?


a adolescente dentro de mim parou de dançar uma música legal e ficou olhando pra tevê sem som, assistindo ao show lá onde eu tava, copo de vodca na mão. tudo vai dar certo.

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

das pequenas obsessões

Estou convencida de que o verdureiro cobra mais caro de mim. Tenho passado a maior parte do meu tempo pensando nisso e pensando na armadilha que vou montar pra pegá-lo no flagra.


Pra você ver como minha vida anda animada.

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

-Blá-blá-blá, blá-blá-blá, blá-blá-blá.

-Blá-blá-blá, não pense nisso, pensa em mim, que sou muito mais legal.
-Ah, nem precisa dizer, penso sempre.

Só na minha cabeça, né? Só na minha cabeça. De verdade mesmo eu fiz qualquer piada idiota.

É por isso que eu não tenho namorado, a série interminável.

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

como pude

Quando finalmente acabou e você treme de pavor só de pensar em quando ainda não tinha acabado.


Ai.

Pavorpavorpavor.

Sabe como é, né?

Pavor.

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Depois de muito tempo. Muito tempo. A coragem de descer do meu pedestalzinho e dizer "eu gosto de você."


Sem querer nada em troca. Sem querer dizer nada além disso.

O peso tirado das costas por não querer dizer nada além disso.

:)

segunda-feira, 12 de setembro de 2011

Dor no corpo, moleza, cansaço, tontura, vontade de passar o dia na cama, olhos pequenos e vermelhos, taquicardia.


Parece gripe, mas é só tristeza.

...

Eu sempre me pergunto quanto tempo será que as pessoas levam pra perceber que quando perguntam "você tá bem?" e eu respondo "mais ou menos. tô passando mal." eu tô falando mesmo é de tristeza.

Será que elas percebem?

...

Daqueles dias em que quero retribuir qualquer gesto mínimo de carinho com um mega abraço e um muitoobrigada.vocênemsabecomoajudou. Mas não consigo, exigiria muito esforço.

quinta-feira, 8 de setembro de 2011

Fui correndo abrir o e-mail pra encaminhar a mensagem que eu tinha acabado de receber.

Não.

Espera.

Já chega.

Joguei pro universo.

Nada de analisar e-mails, SMSs e afins.

Joguei pro universo.

Do outro jeito tava muito complicado e consumindo muito tempo da minha vida que eu podia muito bem dedicar a passar meu rímel com mais atenção, por exemplo.

segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Na análise:
-Mas então, Renata, o que você tá dizendo é que as pessoas têm que correr atrás de você e cair aos seus pés sem que você faça qualquer esforço pra que isso aconteça?

Ahn...


Deixa eu parar um pouquinho pra pensar.

Bom.

Hm.

Bem, não adianta negar. É isso que eu acho mesmo.


pior do que ouvir é concordar?

sexta-feira, 2 de setembro de 2011

Na aula anterior, o Vinícius, oito anos, avisou que na próxima aula era aniversário dele. O Matheus, oito anos, prometeu que ia dar um tobogã de presente. Eu logo disse:


-Olha, um tobogã é muito grande. Matheus, como você vai trazer um tobogã pra cá? Não vai dar.

No dia do aniversário do Vinícius, ele não tinha esquecido a promessa e chegou logo pedindo o tobogã. O Matheus disse que não tinha levado.

-Vinícius, lembra que eu falei que um tobogã é muito grande? Então, o Matheus não tem um caminhão, não deu pra trazer seu tobogã.

Vinícius, que tava fazendo nove anos e ainda acredita que a vida tem que ser justa e que se você for legal vai ganhar coisas legais como um tobogã em troca, não se conformava:

-Mas só porque ele não tem um caminhão eu vou ficar sem meu tobogã? Como eu fico, tia?

Vini, você fica sem seu tobogã, I'm so sorry. I have news for you: a vida não é justa e quando a gente é legal, a única coisa garantida que recebe em troca é ficar rodeado por outras pessoas legais, como o Matheus, que bem que queria dar um tobogã de presente. E isso já é muita coisa.

Mas tobogã de verdade e garantido não tem, não.


não fiz todo esse discurso pro Vinícius, né? que, coitado, era aniversário dele e ele não merecia. tudo ficou resolvido quando eu dei um papel pro Matheus e falei pra ele desenhar um tobogã bem bonito pro Vinícius. Ele desenhou um tobogã ocupando todo o espaço, dobrou e entregou pro amigo.